Conteúdos e cursos para contadores, empresários, gestores, advogados e estudantes

×
Siga-nos:
Classe Contábil
PUBLICADO 17 anos ATRÁS.

Projeto Piloto Linux

A IBM assina com o Ministério da Ciência e Tecnologia, o Termo de Cooperaçãor
npara o Projeto Piloto Linux. Este acordo visa a formulação de propostas parar
nimplementação de soluções utilizando software aberto, em ambiente de reder
ncorporativa, no Governo Federal. A ênfase do programa é o desenvolvimento der
nsoluções utilizando Linux, um sistema operacional poderoso e com custor
nextremamente competitivo. Por estar baseado em tecnologias abertas, o Linuxr
npermite fácil integração com soluções já existentes e com softwarer
ncomercial.r
nr
nO objetivo maior deste trabalho é permitir que os especialistas do governor
ntenham maior familiaridade com as tecnologias de padrões abertos; gerarr
nmão-de-obra qualificada nessas tecnologias; maior entendimento dos problemasr
nrelacionados com cada um dos modelos de licenciamento de software, bem comor
nsuas possíveis soluções; domínio dos mecanismos de integração entre soluçõesr
nbaseadas em software livre e comercial e alcançar a disponibilidade de umr
nambiente de produção testado, integrando software livre e soluçõesr
ncomerciais, que possa ser replicado para os diversos órgãos do Governor
nFederal.r
nr
nPor designação do Ministro da Ciência e Tecnologia, Ronaldo Sardenberg, or
nMCT ficou encarregado da criar e coordenar um grupo de trabalho para estudosr
ne avaliações, visando implementar soluções utilizando software aberto nor
nGoverno Federal. Este grupo já foi constituído e conta com o apoio da IBM,r
nem mais uma contribuição para o avanço do Linux no Brasil. A empresar
ntrabalhará em conjunto com técnicos do MCT em estudos, testes e propostas der
nmigração e integração das novas soluções com os sistemas já existentes.r
nEspera-se no futuro a incorporação de outros órgãos públicos, bem comor
noutras empresas, à medida que os trabalhos evoluam.r
nr
n´A assinatura deste termo de cooperação com o Ministério da Ciência er
nTecnologia e a Solectron, para a elaboração do Projeto Piloto Linux, tem umr
nsignificado muito especial para a IBM, porque reafirma o papel de parceiror
ntecnológico que, ao longo dos nossos 85 anos de operações no Brasil, viemosr
nexercendo junto ao governo brasileiro. Esse acordo representa, também, umar
netapa importante na disseminação do conceito de plataformas abertas e nar
ntransferência de tecnologia para o Brasil´.r
nr
nA missão inicial deste grupo é a de criar um laboratório piloto, focado nar
nidentificação e avaliação de requisitos básicos para validar a utilização der
nsoftware aberto em ambientes de rede do Governo. É importante lembrar quer
nesses ambientes contam com diversas configurações de infra-estrutura der
nTecnologia de Informação (TI) e estágios de implementação diversificados, or
nque representará ciclos de evolução diferenciados. Entre os requisitos quer
nserão inicialmente avaliados neste laboratório piloto estão a definição dasr
ndistribuições a serem utilizadas para servidores e estações de trabalho,r
nseleção de pessoal técnico, estabelecimento de programas de capacitação,r
nentre outros.r
nr
nETAPAS – A ação do grupo de trabalho prevê o desenvolvimento do projeto emr
nquatro fases.: Instalação, configuração e avaliação das necessidadesr
nreferentes ao sistema operacional Linux em servidor de arquivos e impressãor
ne solução de ´Office automation´. A solução de Office deve permitirr
ninstalação também no sistema operacional Windows, a fim de reduzir o impactor
nnos usuários, possibilitando a modificação de um elemento a cada vez.r
nr
nEm seguida (Fase 2), será realizada análise de soluções web para ambienter
nLinux – http server, application server, proxy, dns – para avaliar ar
naderência às funções disponíveis atualmente em ambiente Microsoft. Na Faser
n3, a comissão fará a análise de soluções de colaboração – correio eletrônicor
ne chat – para possível migração das ferramentas de colaboração. Também ér
ndesejável que o cliente, numa primeira fase possa permanecer inalterador
n(Outlook ou Exchange).r
nr
nApós dominada a tecnologia, a próxima etapa será a de se utilizar umar
nsolução de Portal para criar um infra-estrutura de e-business permitindo ar
nintegração da comunidade interna do MCT, através de um ponto único de acessor
naos serviços e aplicações. Também será analisada a questão da migração dor
nbanco de dados para tecnologia aberta.r
nr
nO piloto estará envolvendo as Fases 1 e 2, ou seja, estará cobrindo asr
nquestões de sistema operacional, Office Automation, servidor de arquivos er
nimpressão e soluções para ambiente Web. Quando o ambiente estiver emr
nprodução será feito um levantamento das aplicações a serem utilizadas,r
nanalisando seus perfis e volumes, possibilitando o planejamento der
ncapacidades adequado.r
n




COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

*Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Leia também

Receba gratuitamente nosso boletim de artigos e notícias em seu e-mail