Conteúdos e cursos para contadores, empresários, gestores, advogados e estudantes

×
Siga-nos:
Classe Contábil
PUBLICADO 10 meses ATRÁS.

Projeção do IPCA em 2019 diminui para 3,4%, diz Ipea

O desempenho favorável da inflação nos últimos meses fez com que a projeção de alta do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2019 diminuísse para 3,4%, segundo divulgou o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), nesta quinta-feira (21/11). A inflação prevista em setembro estava em 3,55%.

Para 2020, o Ipea tem expectativa de aceleração da atividade econômica, alcançando a inflação de 3,7% – valor inferior à meta inflacionária de 4% para o próximo ano. Em relação aos últimos 12 meses encerrados em outubro, o acumulado do IPCA é de apenas 2,5%, devido a melhora no comportamento dos preços dos alimentos, da energia elétrica e dos combustíveis.

A inflação por faixa de renda, também do Ipea, divulgou que a inflação para as famílias de renda mais elevada foi de 0,17%, enquanto para as de renda mais baixa ficou em 0,01%. Apesar da desaceleração da inflação das famílias com menor poder aquisitivo, no acumulado de 12 meses a alta de preços para esse grupo foi de 2,67%, acima dos 2,58% registrados entre as famílias mais ricas. O indicador é divulgado mensalmente pelo Grupo de Conjuntura do instituto.

A inflação relativa aos alimentos acumulou alta de 2,8% em 12 meses até outubro, ante variação de 3,8% registrada em setembro. O relatório destaca que o resultado se deu por conta da desaceleração de alguns itens, como tubérculos, cereais, aves, ovos e panificados. O segmento deve encerrar o ano em 2,9% e chegar a 4,1% em 2020, por conta da expectativa de aumento no consumo das famílias.

A previsão da inflação para outros itens – exceto alimentos – é de 1,8% neste ano e 2,1% em 2020. Para os serviços educacionais, a projeção é de alta de 4,9% até o final deste ano e de 5,1% no ano que vem. Os demais serviços livres devem subir 2,8% em 2019 e 3,1% no próximo ano. Já os preços administrados devem encerrar 2019 com variação de 5,4%. Para 2020, a expectativa é de 5,5%.

O indicador do Ipea separa por seis faixas de renda familiar as variações de preços medidas pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O estudo das variações de preços de bens e serviços disponibilizados é feito pelo Sistema Nacional de Índice de Preços ao Consumidor (SNIPC), apurado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os grupos vão desde uma renda familiar de até R$ 1.638,70 por mês, no caso da faixa com renda muito baixa, até uma renda mensal familiar acima de R$ 16 391,58, no caso da renda mais alta.

Fonte: Correio Braziliense




COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

*Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Leia também

Receba gratuitamente nosso boletim de artigos e notícias em seu e-mail