Conteúdos e cursos para contadores, empresários, gestores, advogados e estudantes

×
Siga-nos:
Classe Contábil
PUBLICADO 9 meses ATRÁS.

O resultado é o terceiro mês positivo seguido, atingindo crescimento acumulado de 1,2% no ano

As vendas no comércio varejista avançaram levemente em agosto de 2019. Com alta de 0,1% na série com ajuste sazonal, o resultado é o terceiro mês positivo seguido, atingindo crescimento acumulado de 1,2% no ano.

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (10/10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em relação a agosto do ano anterior, as vendas no comércio subiram 1,3%. Nos últimos 12 meses imediatamente anteriores, o acumulado ficou em 1,4%.

A média móvel trimestral das vendas varejistas, encerrada em agosto, manteve o mesmo ritmo que o trimestre encerrado no mês anterior, de 0,4%.

Varejo ampliado

Os números para o varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos, motos, partes e peças de material de construção, não apresentaram variação em agosto ante ao mês anterior.

Em relação ao mesmo mês de 2018, as vendas do varejo ampliado avançaram 1,4%, registrando o quinto resultado positivo seguido. No ano, o comércio varejista ampliado acumula alta de 3,5%. Já nos últimos 12 meses, o crescimento acumulado é de 3,7% em agosto.

Segundo o IBGE, quatro das oito atividades pesquisadas tiveram variação positiva. Os destaques para o resultado mensal ficam com o grupo de Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação, que subiu 3,8%. Em segundo lugar estão Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, com 0,6%.

Por outro lado, outras quatro atividades registraram variação negativa. As maiores quedas estão com Combustíveis e lubrificantes, com baixa de 3,3%. Outra atividade que teve recuo significativo foi Tecidos, vestuário e calçados, com 2,5%.

No varejo ampliado, o setor de veículos, motos, partes e peças caiu 1,7%. É o segundo recuo consecutivo. Já material de construção apresentou queda de 0,8% em agosto, perdendo o avanço de 0,7% no mês anterior.

Fonte: Correio Braziliense




COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

*Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Leia também

Receba gratuitamente nosso boletim de artigos e notícias em seu e-mail