Conteúdos e cursos para contadores, empresários, gestores, advogados e estudantes

×
Siga-nos:
Classe Contábil
PUBLICADO 6 meses ATRÁS.

IPCA-15 de janeiro varia 0,71% e é o maior desde 2016, revela IBGE

Em janeiro, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) apresentou uma variação de 0,71%. Isso representa 0,34 pontos percentuais abaixo da taxa de 1,05% registrada no mês passado. É o maior resultado para um mês de janeiro desde o ano de 2016, quando o índice foi de 0,92%.

Em 12 meses, o IPCA-15 acumulou alta de 4,34%, acima dos 3,91% registrados nos 12 meses anteriores. Em janeiro de 2019, a taxa foi de 0,30%. Os dados foram divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Sete dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados apresentaram uma alta na entre dezembro e janeiro. A maior variação ficou com o grupo da alimentação e bebidas (alta de 1,83%). Entretanto, o grupo teve uma desaceleração em relação ao levantamento passado (entre novembro e dezembro), que foi de 2,59%.

A segunda maior contribuição veio dos transportes com 0,92%, a variação ficou próxima à registrada em dezembro, de 0,90%.

A desaceleração do grupo alimentação e bebidas é explicada principalmente pelo resultado da alimentação no domicílio, cuja alta foi inferior à registrada no IPCA-15 anterior de 2,30% para 3,62%. Contribuiu para isso o preço da carnes que passaram de uma alta de 17,71% no mês anterior para 4,83% em janeiro. Ainda assim, o item foi responsável pela maior contribuição individual no índice de janeiro, com 0,15 pontos percentuais.

Itens como as frutas e o frango inteiro tiveram aceleração na comparação com dezembro, com 3,98% e 4,96% em relação ao resultado anterior de 1,67% e 2,43% respectivamente.

A alimentação fora do domicílio apresentou alta de 0,99%, resultado acima do registrado em dezembro, de 0,79%, especialmente por conta das altas observadas no lanche e na refeição, 1,30% e 1,10% respectivamente.

No grupo dos transportes, a gasolina, que já havia subido 1,49% em dezembro, apresentou alta de 2,64% e contribuiu com o segundo maior impacto individual no índice do mês, 0,11 pontos percentuais. Além disso, os preços do etanol e do óleo diesel também subiram (altas de 4,98% e 1,47%, respectivamente).

A alta do item ônibus urbano (0,30%) foi puxada pelos reajustes de tarifas em Brasília, em vigor desde o dia 13 de janeiro, e em São Paulo, desde 1º de janeiro.

A maior variação e o maior impacto negativos no grupo dos transportes vieram das passagens aéreas. Houve uma variação de – 6,45% e um impacto de – 0,03 pontos percentuais no índice. Os preços haviam subido 15,63% no IPCA-15 de dezembro.

O destaque na lado das quedas ficou com o grupo da habitação com – 0,14% no índice de janeiro. Os outros grupos ficaram entre a queda de 0,01% em artigos de residência e a alta de 0,47% em despesas pessoais.

Fonte: Correio Braziliense




COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

*Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Leia também

Receba gratuitamente nosso boletim de artigos e notícias em seu e-mail