×
Siga-nos:

Salário mínimo passa a ser de R$ 1.212 a partir de amanhã

Por Equipe Classe Contábil
31 de dezembro de 2021
Comentar

A MP com o novo valor está publicada no Diário Oficial da União

Diário Oficial da União publica, nesta sexta-feira (31), a Medida Provisória nº 1.091, de 30 de dezembro de 2021, assinada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, que define o valor do salário mínimo, a partir de 1º de janeiro de 2022, em R$ 1.212.

A portaria informa ainda que o valor diário do salário mínimo corresponderá a R$ 40,40 e de R$ 5,51, o valor horário.

Em sua fala, ao vivo, em uma rede social, na noite dessa quinta-feira (30), o presidente da República já havia anunciado o novo valor do salário mínimo para 2022.

Atualmente, o salário mínimo é de R$ 1.100.


Edição: Aécio Amado

Fonte: Agência Brasil

Sobre o autor

Equipe Classe Contábil

Time de gestão de conteúdo do Blog Classe Contábil - Conteúdos segmentados com foco na área Contábil e seus reflexos nas empresas e áreas afins, composto por profissionais de jornalismo, marketing, criação, desenvolvimento web e consultoria.

Bolsonaro sanciona projeto que cria MEI Caminhoneiro

A medida, publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira, 31, permite que motoristas autônomos com rendimento anual de R$ 251,6 mil — cerca de R$ 21 mil por mês —, sejam classificados como Microempreendedor Individual. A nova legislação também trouxe mudanças para o funcionamento do Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN).

LER MAIS

Desoneração da folha para 17 setores é prorrogada até 2023

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou a prorrogação até o fim de 2023 da desoneração da folha de pagamento das empresas dos 17 setores da economia que mais geram empregos. A sanção do Projeto de Lei (PL) 2.541/2021 foi publicada ontem (31), data em que o benefício fiscal se encerraria, no Diário Oficial da União. O projeto foi sancionado integralmente, sem vetos e já está em vigor.

LER MAIS

Novo Marco Legal do Câmbio é sancionado

Norma facilita uso de moeda brasileira em transações internacionais e abre espaço para bancos e instituições financeiras brasileiros investirem recursos no exterior. Aumenta o limite de dinheiro vivo que cada passageiro pode portar ao sair ou entrar no Brasil, que passou dos atuais R$10 mil para US$10 mil (cerca de R$50 mil pelo câmbio atual) ou o equivalente em outra moeda.

LER MAIS