Conteúdos e cursos para contadores, empresários, gestores, advogados e estudantes

×
Siga-nos:
Classe Contábil
PUBLICADO 4 semanas ATRÁS.

Crescimento de 1% é muito baixo e não é normal, diz secretário do Tesouro

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, afirmou nesta quinta-feira (5) que o crescimento da economia brasileira em 2019 é muito baixo, não é normal e causa frustração na sociedade.

O resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do ano passado, apresentado na quarta-feira (4) pelo IBGE, com alta de 1,1%, é menor do que o projetado inicialmente pelo mercado e consolidou 2019 como o terceiro ano seguido de fraco crescimento da economia brasileira.

Na quarta, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o dado veio dentro do previsto e que o país está acelerando. A Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, por sua vez, avaliou que a economia está em ritmo de retomada e que a composição do PIB melhorou, com crescimento privado em substituição do setor público.

Em seminário com secretários de estado em Brasília nesta quinta, entretanto, o secretário do Tesouro fez declarações em tom menos otimistas.

“Estamos num país que ainda está passando por enormes dificuldades. Eu durmo tranquilo? Não durmo tranquilo. Estou muito preocupado porque a gente está ainda em um país com crescimento muito baixo. Não é normal um país em desenvolvimento como o Brasil crescendo 1% ao ano. Isso é normal? Isso não é normal”, afirmou.

No encontro, o secretário ressaltou a importância de dar continuidade ao ajuste fiscal para que o país tenha condição de crescer e fornecer serviços públicos de qualidade à população. “Um país com tanta necessidade, tanta carência e desigualdade tão grande crescer 1% ao ano claramente causa frustração em vários segmentos da sociedade. Por isso, é preciso chegar a um consenso sobre que país precisa fazer”, disse.

No sentido contrário ao argumento dado pelo Ministério da Economia de que há uma tendência de fortalecimento do setor privado, os dados do IBGE mostram que os investimentos caíram e os gastos do governo cresceram no encerramento do ano passado. No último trimestre de 2019, o consumo do setor público expandiu 0,3% em relação ao mesmo período de 2018. Se comparado com o trimestre anterior, a alta foi de 0,4%.

O investimento, por sua vez, caiu 0,4% nos últimos três meses do ano, se comparado com período equivalente de 2018. Na comparação com o trimestre imediatamente anterior, o recuo nessa conta foi de 3,3%. Na avaliação de Mansueto, o movimento não representa uma reversão de tendência.

“No final do ano, você teve dados muito contraditórios, mas se a gente olha o ano, o crescimento está sendo puxado pelo setor privado e, no ano passado, o investimento já cresceu em relação ao ano anterior. Tem só que consolidar isso em um ritmo mais acelerado”, afirmou.

Fonte: Jornal do Comércio




COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

*Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Leia também

Receba gratuitamente nosso boletim de artigos e notícias em seu e-mail