×
Siga-nos:

Já entendeu como funciona a Lei Geral de Proteção de Dados?

Publicada em 2018, a Lei nº 13.709 – conhecida como Lei Geral de Proteção de Dados – entrou em vigor agora em 2020 e já está valendo!

Ela se aplica a todas as organizações que, de alguma forma, realizam o tratamento de dados pessoais durante a sua operação.

“Mas essa lei se aplica à minha empresa?”, você pode estar se perguntando.

Para saber a resposta, é necessário compreender alguns conceitos legais.

Como funciona a LGPD?

Em primeiro lugar, a Lei Geral de Proteção de Dados se aplica ao tratamento de dados das pessoas naturais (a famosa pessoa física), portanto, ela não protege os dados de pessoas jurídicas.

Mas o que são dados pessoais? De acordo com a lei, a informação que permite identificar uma pessoa constitui um dado pessoal.

E isso vai muito além do nome ou CPF, podendo abranger qualquer dado através do qual o titular possa ser individualizado – ainda que seja mediante cruzamento de outros dados.

Ou seja, como a intenção da lei é proteger a privacidade, a partir do momento em que você opera com informações ligadas a alguém, o tratamento que você realiza precisa estar de acordo com a LGPD.

Mas o que configura o tratamento de dados? O conceito previsto na lei é amplo e abrange provavelmente tudo o que se possa fazer com a informação pessoal de alguém.

Então, se você, por exemplo, coleta, recebe, classifica, reproduz, transmite, processa, armazena, avalia, compartilha, ou até mesmo se elimina dados pessoais – tudo isso configura tratamento de dados, além de outros tipos de operação possíveis.

É por isso que se costuma dizer que praticamente nenhuma organização está alheia à Lei Geral de Proteção de Dados, pois ela regulamenta até mesmo o tratamento das informações dos colaboradores da sua empresa.

Portanto, é necessário conhecer a lei, para evitar problemas de inadequação, como já temos visto no judiciário.


Fonte: Fortes Advogados

Proteção de dados de consumidores no Brasil é desafio para empresas

Nos últimos meses, empresas de diversos setores foram questionadas por autoridades e organizações da sociedade civil a respeito da possibilidade de vazamento da base de dados dos consumidores. Só o Procon de São Paulo, desde novembro do ano passado, enviou questionamentos a partir de notícias de vazamentos de informações de clientes a uma concessionária de energia, quatro operadoras de telefonia e um hospital.

LER MAIS

Cartilha de Segurança para a Internet – Fascículo Senhas

Contas e senhas são os mecanismos de autenticação mais utilizados na Internet atualmente. Por meio de contas e senhas os sistemas conseguem saber quem você é, confirmar sua identidade e definir as ações que você pode realizar. A sua conta de usuário em um determinado sistema normalmente é de conhecimento público, já que é por […]

LER MAIS

Agência Brasil explica: como agir após ter dados pessoais vazados

Os recentes vazamentos em massa de dados de consumidores em todo o país acenderam o alerta. De posse do nome completo, do endereço e do Cadastro de Pessoa Física (CPF), criminosos podem fazer estragos na vida do cidadão comum. Com linhas de crédito e dívidas contraídas indevidamente, pessoas físicas terminam com o nome negativado sem terem feito nada.

LER MAIS